17 de setembro de 2012

Galerias de Paris


Estava na altura de me recompor. Deixar as estrelas a um canto e encostar as cartas na mesa juntamente com a caneta gasta. Beber um café para acalmar os ânimos, ir ao armário velho do quarto, escolher uma roupa com umas cores alegres e deixar a casa. A cruzar-me com hologramas teus nos cantos da rua tentava desprender-me do teu charme que levava na mente na última noite em que partilhamos a Lua. A apagar-te aos poucos a cada passo descoordenado, a rasgar de dor como se fosse um livro que precisasse de páginas brancas como significado de um novo começo. Sento-me no banco e do meu lado esquerdo vejo uma roseira. O vermelho a rigor faz-me recordar o quanto a paixão deveria de ser intensa e no fundo é tão cheia de pó. Como memórias coladas a uma parede branca com o objectivo de decoração e recordação. Cinco minutos cá fora, a sentir o ar puro no corpo e sufoco. Vou para casa e desta vez cruzo-me com momentos espontâneos. E, nesta mesma casa reparo que em cima da mesa ainda permanece os pratos do nosso ultimo pequeno almoço em conjunto.  Que a tua roupa ainda não foi para lavar só para poder perfumar todos os cantos mais um pouco com o teu cheiro. Que os lencois ainda estão quentes. Que a Saudade está em cada parte interna e externa. Que não estás cá. Então, e, se desistisse de ti?

8 comentários:

Afonso disse...

está mesmo, assim como este texto !

inês disse...

oh cláudia, como escreves bem

inês disse...

oh, não, escreves sempre bem!

Emilie Lorena disse...

Se desistisses então tudo aquilo que te preenchia a memória iria começar a desvanecer. Não seria algo mau. Aliás, iria dar-te espaço para novas recordações, novos cheiros, novos locais. Para uma nova pessoa :)

Gabriela. disse...

muito, muito obrigada querida, tu igualmente <3

Sroul. disse...

Às vezes penso em ti, outras vezes acho q não iria fazer falta... Sei lá, eu afasto-me das pessoas feita parva. E não consigo mudar isso em mim, infelizmente.

RaquelSousa . disse...

Que texto lindo princesa!

Sroul. disse...

Digo-te o mesmo, tu sabes.