17 de novembro de 2012

Conta-Me uma História

01:03. Batia Fragz nas paredes da pequena casa com um pequeno palco. As pessoas andavam loucas. Aos saltos. Cabelos colavam nas faces. Esvoaçavam-se gestos de euforia. Olhava a minha volta e parecia tudo vivo. Aliás, tudo estava vivo. Naquele local, as amarguras ficavam a porta. Não havia nada que nos impedisse de lançar berros uníssono. Dou um bafo no charro que me passam. Tínhamos discutido e mais do que nunca queria esquecer. Manda-lo para o caralho. Fazer dele o que ele fazia de mim. Um passatempo. Tinha o ódio cravado na pele. Nos olhos. No ambiente. Na fertilidade de cortar todo este mal pela raíz. Mando um bafo e parece-me tão pouco. Um sócio vem falar comigo e passa-me qualquer dentro de uma pequeno saco plástico  E, de repente desvanece-se na multidão. Um pastilha branca que supostamente ia colorir o meu cérebro de respostas ou então fazer-me cagar no assunto porque amanhã iria ser outro dia. 
- Tens aí uma garrafa de água? - Pergunto.
Bebo em tragos leves. Não sinto o paladar a nada. Tá fixe. Olho para o acumular de pessoas que estão a minha frente. Que agora não são pessoas. Não passam de sombras. Pareco-me sozinha neste palco com toda a paz interior. Não me faço recordar da ressaca que amanhã vou sofrer. Tornei-me uma apaixonante de adrenalina na pele. Sofria do medo de querer mais e mais. Do meu corpo entrar em bad trip. Da minha alma sair pela boca fora e vissem todos os buracos do meu interior pelas balas de um amor desconhecido agora. E, louco antes da entrada.
As drogas fluem por todo o meu eu. 
- Estou Vivaaaaaaaa - Grito. Alongo as palavras para dentro da minha mente.
Acordo e toda a merda se repete. Mas, recordei-me não sei como que sou mais do que qualquer amor. E, deste dia venci o meu ciclo vicioso. Deixei o meu amor lá e vim embora vazia. 

6 comentários:

Margarida disse...

das melhores coisas que já li, sem dúvida

Sroul. disse...

Gigantemente pequenina, mas que gosta muito de ti <3

Miminhos disse...

Embora não tenha dado notícias no blogue, tenho andado contente, como um pássaro a voar, pois a presença de uma pessoa tem-me deixado assim :)
E tu, como tens andado?

nicolemorais disse...

maravilhoso!

daniela fernandes disse...

O teu blog é assim aquela escape... no fim, venho sempre aqui parar!

Catarina disse...

adorei! gostava também de me sentir assim de novo um espírito livre independentemente do que fosse sentir no amanhã!
e fico super feliz Cláudia por teres vencido esse ciclo vicioso !