15 de novembro de 2012

o nosso interior


Existem certas rotinas que nunca irei mudar. Mudam-se as frequências de rádio. Desliga-se a televisão. De repente, aparecem pessoas cansadas do cansaço do Mundo fecham-se no seu interior e recusam-se a ouvir ou até mesmo a ver. Eu sou uma dessas pessoas. Que acha que se ainda consigamos salvaguardar o nosso interior deve-mo-lo o manter em segredo porque se existe arestas que precisam de ser limadas somos nós que temos que as limar. O nosso interior serve para ainda sermos nós próprios. Apesar de existirem coisas em comum, nunca existiram coisas iguais. Não, se vierem de dentro do nosso interior. É o nosso sangue, é único. 

4 comentários:

alexandra marques disse...

concordo plenamente*

mariaa disse...

Gostei deste blog. Sigo :)

inês geraldes disse...

eu estava tão bem... não o faço, mas é difícil

inês geraldes disse...

talvez sim, talvez não.