9 de março de 2013

Alerta: Virus massivo

Carregas nas feridas que depois de tanto carregares já não as sentes. O óbvio não são os curativos que terás de utilizar para remares contra a maré. O óbvio está a arejar debaixo do teu nariz e tu a enxota-lo para debaixo dos teus cabelos para esconde-lo das certezas alheias... Aquilo que é capaz de matar e fazer desaparecer somente o que tanto gostas e te ilude. Porque és a prova que o errado por muito que nos atire para falésias gigantes é tão saboroso e tão agressivo que parece ser único. No entanto, lamento ser portadora de más noticias, não é. E, tu serás mais uma presa na boca do lobo a largar pedaços de carne pelas ruas, a queixar-te do sangue que sai pelas ditas feridas acabando com o fim de não saber bem o que fazer porque o lobo é a droga. Drogas psicológicas são massivas para todo o tempo e vontades. Mudos os tempos mas nunca mudas as vontades. 

5 comentários:

Agostinho Barros disse...

eu tambem não gosto da dita normalidade. a tua escrita cativa . Adoro tudo o que escreves

Green Eyes disse...

r: eu já cheguei a me afastar dele quando ele me magoou, ele procurou-me por duas vezes, diz que não consegue passar sem mim. Sinceramente, se isso acontecer desta vez eu vou-me marimbar completamente.

Annie disse...

Que texto mais intensivo!

anónimo (: disse...

gosto muito (:
http://trueofmyhistorylife.blogspot.com/
vê se gostas (:

Agostinho Barros disse...

ainda bem , são elogios que tantos mereces , cada fundo que pões melhor que o anterior