18 de maio de 2013

Lições de moral

Cai-mos em erros sistemáticos todos os dias. Sabemos e continuamos a deixar-nos cair. Não sabemos lidar a sangre frio com as feridas que nos são impostas por isso cai-mos. Trata-se apenas de quedas que não nos esfolam apenas a pele. Lá dentro somos constituídos por paredes quebradiças. E, quantas ao todo se quebraram e nem demos conta? E, não existe cimento capaz de as erguer porque essa paredes são o nosso interior. Supera-se, apenas. Tudo aquilo que achávamos não conseguir perdoar para viver bem já perdoamos. Saber algumas coisas da vida não é um privilégio. É um teve que ser. Um teve que ser porque sentimos na pele e se não fosse assim então não saberíamos nada. E, ninguém gostaria de morrer ignorante. Costumo pedir para me esfregarem as verdades na cara. Não porque é mais fácil. Apenas porque é correcto. E, seja quantos espinhos que essa verdade exerce sobre qualquer corpo, inclusive o meu, irei tira-los um por um e sorrir feita maníaca  Está doer? Ninguém disse que iria ser dificil. Tão pouco fácil. A palavra fácil é como um doce. É doce mas desvanece-se rapidamente entre a saliva para que possamos ficar doces. Mas, o sabor só dura segundos e afinal somos amargos. E, se queremos coisas fáceis então acreditamos num céu fictício. Prometo que estava completamente sóbria quando escrevi este texto.

# 07:25

3 comentários:

Margarida disse...

sóbria ou não, escreves lindamente...

claire disse...

foi das melhores coisas que li ultimamente. "Saber algumas coisas na vida não é um privilégio. É um teve que ser." nem mais!

Sentimentos Incontrolados disse...

Muito bom!