13 de janeiro de 2013

O questionário mais interessante que já fiz


Que idade terias se não soubesses a idade que tens? Oito anos. Estou farta de responsabilidades.
O que é pior: falhar ou não tentar? Não tentar. A falhar sempre aprendes com os erros.
Se a vida é tão curta porque é que fazemos tantas coisas de que não gostamos e gostamos de tanta coisa que não fazemos? Porque consideramos o possível, impossível.
Quando está tudo dito e feito, dizes mais do que fizeste? Sim mas normalmente é só para magoar a pessoa.
Qual é a coisa que mais gostavas de mudar no mundo? Há uma linha que separa a minha personalidade, vida e aparência das demais. Gostava que a respeitassem.
Se a felicidade fosse a moeda nacional que trabalho te faria rico? Ser blogger. Ou, ser fotografa. 
Fazes aquilo em que acreditas ou contentas-te com o que fazes? Sinceramente, contento-me com o que faço. Aquilo em que acredito não vai muito além de crenças interiores e pessoais.
Se a esperança de vida humana fosse de 40 anos viverias de forma diferente? Não. Gosto de como vivo.
Até que grau controlaste o curso que a tua vida tem seguido? Agora, bem. Só faz falta quem cá está. 
Estás mais preocupada em fazer coisas bem ou fazer as coisas certas? Nem uma coisa, nem outra. Gosto de andar ao sabor da brisa.
Estás a almoçar com 3 pessoas que respeitas e admiras. Elas começam a criticar um amigo próximo de ti, sem saberem que é teu amigo. A crítica é de mau gosto e injustificada. O que fazes? Já me aconteceu. E, eu passei-me literalmente. Não sou boa a lidar com certas situações.
Se pudesses dar um conselho a um recém-nascido, qual seria? Cor de rosa, cinzento e preto. Juntas as cores e tens aqui o teu wallpaper para as paredes do teu quarto. (se é que me faço entender.)
Quebrarias a lei para salvares uma pessoa amada? Já quebrei. Apaixonei-me por uma pessoa proibida a demasiado tempo.
Já viste insanidade onde antes vias criatividade? Já.
O que sabes que fazes diferente das outras pessoas? O facto de conseguir manter um equilíbrio mental muito forte. Sou daquele tipo de pessoas que teve um passado fodido e que vive do passado. Se não fosse este meu equilibro... Acredito, já estava aqui.
Como é que as pessoas que te fazem feliz não fazem toda a gente feliz? Porque eu não sou toda a gente. 
Que coisa é que ainda não fizeste mas que queres mesmo fazer? O que te impede? 1 opção seria escrever um livro e o que impede são as boas ideias. Escrever um livro para ser só mais um na instante, não, obrigada. 2 opção é lutar pela pessoa que amo mas isso é assustador pois existem vários factores compromissivo. 
Estás agarrada a algo que precisas de deixar ir embora? Sim. Que me faz mal mas que não quero que vá embora.
Se tivesses de te mudar para um estado ou país diferente de onde vives atualmente, para onde te mudarias e porquê? Suiça. O futuro lá seria bem mais risonho a todos os níveis. 
Carregas no botão do elevador mais do que uma vez? Acreditas que isso faz o elevador andar mais depressa? Sim e Não. Que cena.
Preferias ser um génio preocupado ou idiota contente? Um idiota chapado e contente.
Porque é que tu és tu? Porque para cada pessoa existe uma pessoa. 
Tens sido o tipo de amiga que querias ter como amiga? Sim, para algumas pessoas. Não, para outras.
O que é pior: quando um bom amigo se afasta ou perder contacto com um bom amigo que vive perto de ti? Quando um grande amigo vive perto de ti, convivem mas já nem se conhecem.
De que te sentes mais agradecida? De ainda não viver debaixo da ponte com a crise que temos.
Preferias perder todas as tuas memórias antigas ou nunca mais poder ter novas memórias? Nunca mais poder ter novas memórias. Porque o meu Passado fez de mim o que sou hoje.
É possível conhecer a verdade sem a desafiar primeiro? Existem situações que enganamos com a verdade porque dizer a verdade nua e crua é demasiado fatal.
O teu maior medo algum dia será real? Nem sei se tenho medos.
Lembras-te daquela vez há 5 anos atrás em que estavas realmente chateada? Isso ainda importa agora? Sim. Porque não estava chateada, estava desiludida. E, ainda hoje estou.
Qual é a tua memória de infância mais feliz? O que a torna tão especial? Brincar as escondidas. Porque detestava mas era nesses tempos em que se vivia realmente.
Em que altura do teu passado recente te sentiste mais apaixonada e viva? Recordo-me que a minha mãe estava a passar férias bem longe e eu com a melhor companhia do Mundo na cama.
Se não for agora, então quando? Nunca. 
Se ainda não conseguiste o que querias, o que tens a perder? Nada. Mas, sempre tenho a ganhar. Porque as vontades não são sempre as mesmas. E, as oportunidades podem surgir.
Já alguma vez estiveste com alguém, sem dizer nada, foste embora e sentiste que tinha sido a melhor conversa de sempre? Sim.  
Porque é que as religiões que apoiam o amor causam tantas guerras? Porque o Homem pensa que se plantarmos bombas nascem flores.
É possível saber-se, sem dúvidas, o que é bom e o que é mau? As duvidas já são más por si.
Se ganhasses um milhão de dólares despedias-te do teu emprego? Futilidades não é comigo.
Preferias ter menos trabalho ou mais trabalho que gostasses de fazer? Mais trabalho que gostasse de fazer. 
Já sentiste que viveste um dia cem vezes? Já... E, que dia...
Qual foi a última vez que entraste no escuro apenas com o brilho de uma ideia em que acreditavas? Quando a minha avó morreu, entrava no hospital com o brilho da ideia de ela sobreviver ao cancro.
Se soubesses que toda a gente que conheces morreria amanhã quem visitarias hoje? Impossível visitar certas pessoas.
Estarias disposta a reduzir a tua expectativa de vida em 10 anos para te tornares extremamente atraente ou famosa? Não. A Beleza é a tua Mente.
Qual é a diferença entre estar vivo e viver realmente? Para estares vivo, respiras. Para viveres realmente, as vezes precisas de sufocar. 
Quando é que é altura de parar de calcular riscos e recompensas e simplesmente ir em frente e fazer o que é certo? Quando já não temos medo das vertigens. Principalmente, das psicológicas. 
Se aprendemos com os erros porque temos medo de errar? Porque nem sempre aprendemos. Vamos apenas bater mais uma vez com os cornos na parede. 
O que farias de forma diferente se soubesses que ninguém te julgaria? Enrolava os meus charros em via publica. Fumava dentro de casa. Desistia do curso. Ia imediatamente viver para a Suiça. Tornava-me numa fotografa profissional. E, ia fazer amor com a pessoa que amo.   
Qual foi a última vez que notaste o som da tua própria respiração? Ontem a noite. 
O que amas? Alguma das tuas ações recentes expressou esse amor? Pessoas, essencialmente. Sim, existem fases na minha vida em que escrevo sem medos para pessoas proibidas. 
Daqui a 5 anos vais lembrar-te do que fizeste ontem? E anteontem? E no dia antes desse? Não!
Há decisões que estão a ser tomadas agora mesmo. A pergunta é: estás a tomá-las por ti ou deixas que os outros o façam? Quando são decisões a ser tomadas são por mim. Se não, não passam de projectos. 

6 comentários:

Bernardo disse...

bem interessante :D

Lúcia Pereira disse...

"Qual é a diferença entre estar vivo e viver realmente? Para estares vivo, respiras. Para viveres realmente, as vezes precisas de sufocar. " perfeito

mariana disse...

espectacular :D

patrícia disse...

Vou roubar :)

patrícia disse...

Não dá para copiar :|

Sentimentos Incontrolados disse...

A sério? :)
Pena ele vá abandonar a selecção do Brasil, mas é preciso dar lugar aos mais novos.