29 de março de 2013

(3) maiores forças

Deixar a lupa de parte para os meus defeitos. Encornar com os defeitos dos outros. Aponta-los sem ter medo de perder três dedos. Aceitar as catástrofes naturais da minha mente sem levar putas eternas comigo. Eliminar o rancor que trazia no sangue por memórias que se soltaram de mim e que quis agarrar com força. Com toda a força. Até me rebentarem as artérias. Sentir e deixar de sentir. Saber ter controlo, saber-me bem possuir esse controlo. Sorrir para o espelho como uma maníaca  fazer desse espelho o meu palhaço - espelho meu, espelho meu, quem é mais do que eu? - Ninguém. Não saber dizer se existe medos. Caminhar como tiros certos sem alvos prematuros. Impedir que o amor me tolde o juízo. Analisar a minha mudança de pele, de clima e de expressão. Aceitar-me. Aceitar o filho da puta do Mundo. 

2 comentários:

margarida ❀ disse...

gostei :)

kowodzpin disse...

tão brilhante quanto o que eu precisava de ler. consciência desta vida fdp. e ninguém faz nada por nós. houvesse felicidade fd-s.