19 de março de 2013

Texto de uma Ganzada IV

Acredito. Um dia seremos apenas nevoeiro. Fumos espalhados por toda a parte. Se somos bichos, se somos arte. Acho que somos nada. Foram as vivências na casa dos loucos que me fez ser tão assim quanto sou. Não sei ser o que sou. Não sei o que sou. Relaxemos, uma pedra de haxixe. Metemos som na caixa. Passa Dillaz e Virtus. O Dillaz é fodido da cabeça e o Virtus tem saudades da infância. Esta droga é massiva. Arranha-me a garganta. Não sei o que sou. Nem nunca soube o que fazer. Não sei quem gosta do que sou. Acho que ninguém porque sou ninguém. Sou isto: nada. 

15 comentários:

Sentimentos Incontrolados disse...

Adorei. Muito bom!

Anónimo disse...

Estou a foder-te a cabeça xD

Quell Dama @ disse...

Adoras é os meus charros.

Anónimo disse...

Pois adoro, tens problemas??

Quell Dama @ disse...

Não, só acho estranho x)

Anónimo disse...

Tu tbm és estranha e eu não comento isso xD ahaha

Quell Dama @ disse...

Pelos vistos, gostas de mim estranha.

Anónimo disse...

E se gostar? Problemas?

Quell Dama @ disse...

Visto q comentas o local onde eu consigo mostrar o q realmente sou, não :)

J. disse...

é só bom saber que ainda existem pessoas a escrever disto.

J. disse...

vida triste, só o que tenho a dizer. enfim. uma coisa, adiciona-me por favor, fiquei curiosa quanto ao grupo.

Anónimo disse...

Comento onde e o que eu quero xD E gosto

J. disse...

não recebi pedido :(

J. disse...

se não te importares, dás-me o teu, que eu faço-te pedido. o face deve estar parvo

mariana disse...

obrigada fofinha