11 de abril de 2013

"As piores pessoas dão-nos as melhores memórias."


Triste sabermos que apoiamos pedras em cima dos nossos ombros. E, cérebros vazios no nosso corpo. Ficamos apáticos porque uma memória ficou alojada num dos cantos e essa memória alimenta-se do amor que nunca recebemos. Porque só quem não tem medo de sentir é que tem passado para enfrentar. E, se não soubesse sentir, seria uma pedra. No entanto, gosto de ter pele para sentir as picadas, abraços para sentir calor, lágrimas para lavar a Alma. O que vos trago hoje é o veneno de suspender o fim. Relações começam e acabam... Se o Passado não está no teu Presente é porque algo melhor terão para te deixarem provar o sabor e ficares viciada ao ponto de a ressaca ser contaste? Se é que me entendem, claro. Haverá sempre a derradeira batalha do final. A que decide. Essa batalha não se vai demonstrar. O tempo é muito tempo mas não é o tempo - inimigo da paciência? É. Então, não deixas que a paciência de consuma. Se morreres com histórias mal-contadas, boatos iram acaba-las. Relembra-te que as más línguas falam de ti mas as excitantes percorrem o teu corpo. 

3 comentários:

Sentimentos Incontrolados disse...

Adorei :)

Agostinho Barros disse...

gostei do textooooo **

kowodzpin disse...

Clauuuuuuuu, as duas últimas frases são arrebatadoras. todo um texto lindo. adoro sempre os teus pontos de vista. pareces tão fria e recional por vezes mas tão sentimental e corajosa de sentir no mesmo momentos. adorei :D