23 de agosto de 2013

é suposto gostares de ti mesmo para gostares da tua vida seja ela o que for

Não sou imune à nada. Nem a venenos, nem a micoses que as pessoas desenvolvem contra pessoas. As minhas horas são gastas a deambular, aqui, ali e acolá. Tudo o que sei ao certo é pouco e o que é certo a mim não me diz nada. Recordo-me do tempo em que expunha os meus desejos na montra. Como se fossem roupas. Acreditava que as pessoas tinham esses mesmos desejos no entanto essa sensação acabou por ter um fim. Aquele fim em que tu, finalmente, percebes que usam os teus desejos só para sentir o sabor e depois cospem no prato em que comeram. Por isso, os meus desejos são o meu fundo de secretismo. Sou contraditória e banal quando digo, de boca cheia, que as essências gerais que todos querem, não quero. Mas, quero. Afinal, todos queremos. Se não fosse assim, não era humana, era pedra dura. Talvez seja um pouco diferente de todas as cadelas que usam um top apertado e justo só para se enganarem a si próprias. Só para se mentalizarem que os gajos que lhes comem a carne, gostam. Talvez seja um pouco diferente porque se me vir de lingerie ou nua, gosto. E, sorrio para o espelho que outrora já foi o meu pior inimigo mas fiz negócio com ele. Não há segredos na maneira como observo tudo e todos. Existe, simplesmente, aquela forma de aprender com os erros dos outros e os meus erros. Admito, todos os dias, a mim mesma que, sim, existem arestas por limar. Que se apontar com um dedo sem razão aparente, os outros dedos, que são meus, me atacam. E, não é ironia. É Karma. Ou, tu és daqueles vilões que acha que se apontar o dedo que não to cortam só porque és giro e tens um bom pacote? E, aquele truque em dizer a mim mesma que a vida é mais bela merda que existe, funciona, porque penso apenas que é só a realidade. Esta minha vida ainda não acabou ao invés prometi a mim mesma: basta de lamúrias, foda-se! Tu és de carne e osso. Tu és complexa. Tu tens solução. E, se um dia, não encontrar o amor que se foda o amor. E, se um dia, não tiver mais charros para fumar que se fodam os charros. E, se um dia, não tiver mais bebida para ingerir que se foda a bebida. E, se um dia, o sol não nascer, então, que se foda. Porque nada é tão belo do que a sensação de sentir que gosto de mim. E, que as cujas pessoas fogem de mim porque não gostam delas. E, fogem de mim porque se perguntam: Mas, como é possível uma pessoa gostar de si mesma? O meu sonho é pegar numa lata e escrever numa parede com letras negras: é suposto gostares de ti mesmo para gostares da tua vida seja ela o que for. Seja da maneira que a quiseres levar! Milhões de pessoas podem neste momento estar a escrever a frase: se eu não gostar de mim, quem gostará? Mas, se lhes perguntasse: Gostas de ti? Balbuciavam a resposta. Atropelavam-se na pergunta de uma maneira tão fodida e batiam com os cornos na parede e refectiam: Mas, como ela capaz de me perguntar isto? Mas, tu és daqueles que acredita que não podemos gostar de nós mesmos? Então, afirmo-te: Se não gostares de ti, nunca gostarás de pessoas. Nunca serás capaz de carregar ao de leve os terramotos e os tsunamis que pessoas trazem para a tua vida. Era só isto e apetece-me o real big mac. 

5 comentários:

inês disse...

as pessoas são o maior inimigo delas mesmas. dizem que não gostam de pessoas, mas são pessoas. pessoas sem amor-próprio são perigosas.

Kate disse...

Adorei o teu texto. Tens toda a razão. É difícil não nos deixarmos contaminar pela ditadura da sociedade.
Quando era (ainda mais) miúda, devia ter 15 anos escrevi um texto sobre isso.. e ainda hoje me pergunto onde fui buscar tamanha sabedoria e quando fui que a perdi. Dizia, na altura, que a beleza era um estado de espírito e que me sentia linda quando estava feliz.
Sim, quando estava mesmo feliz olhava-me ao esoelho e sentia.me mesmo linda. e no fundo era bem verdade.
Agora já não acho que seja assim tão simples. Ou então eu já não consigo ver essa simplicidade ..

Kate disse...

Obrigada! ;)

Jun disse...

Obrigada querida!

Cátia Mourisca disse...

É isso msm!