26 de agosto de 2013

são merdas do dia a dia mas acredita que na vida a merda varia

Dão um berro e tiram-te da cama. Aquele ciclo vicioso acabou e o espelho é o teu melhor amigo. Sais à rua e sentes que és de ferro. Vais tomar um café e vês uma fucking gostosona com a pinta de cadela em cio. Mas, por vezes, tens a noção que aquele astuto não se parece contigo. Cagas nesse aspecto, acabas o teu café, e vais ter com os teus tropas. Amizades de anos em que os entraves de tempos passados, agora, são contados de uma maneira engraçada. Anedotas fodidas de putos com metro e meio que não tinham limites, nem receio. A tua maneira de vestir já não é para agradar ninguém. A tua maneira de falar é aquela a que te habituas-te e, hoje, putos de 14 anos usam as expressões que tu usam com os teus tropas e isso faz-te rir. Porque aquelas expressões ensinaram-te a reflectir quem te tirou vida e quem te a pôs na devida moral. Hoje, é dia de ir à ribeira, mas apanhar uma real bezana já não te diz nada. Só queres aquela boa vibe e sentir que os teus estão felizes da maneira que querem. Olhas à tua volta e vês ambulâncias por todo o canto. Cadelas a vomitarem-se todas e patakeiros cheios de confiança agressiva. Nos teus 14 anos, tu nem tinhas a noção do que era uma real bezana mas sabias que se apanhasses, levavas chapada da mãe zeza. Hoje, tu tens a tua liberdade. E, conheces putos que esperam que os papás se deitem para fugir de casa. A mãe zeza pergunta onde vais e com quem mas sabe que tens juízo porque o respeito e valores sempre foi o prato do dia e jamais a mãe zeza aceitaria buscar-te ao hospital com uma moca de caixão à cova. Hoje, os putos, fazem da casa deles o hospício dos malucos e os pais os escravos. Antigamente, nos teus 14 anos, tu conhecias as pessoas e as pessoas conheciam-te a ti. Os putos hoje querem cona. Vão pra cama sem preservativos e nasce um fruto com valores desconhecidos. E, o que, era impensável nos teus 14 anos tornou-se num ciclo vicioso. No entanto, nem por isso mudes. A tua vida não é a conta que a sociedade faz. A tua vida é a conta que tu somas-te. Lembra-te, só, que a ti mesmo é a quem deves os maiores valores. 

5 comentários:

Kate disse...

Gostei muito e concordo c o que dizes :)

Por vezes nem a minha geração percebo quando mais os mais novos.. Esta sede de experimentar tudo e todos.. A banalização do sexo, dos afectos, do alcool, droga etc etc.. Andam à procura de quê? Que método é o deles?
Será que no fim ainda n se sentirão mais vazios?
Eu sentir-me-ia uma merda se levasse esse género de vida...

dan. disse...

http://danielascsilva.blogspot.pt/2010/09/eu.html olha o último comentário eheh

Joel Carvalho disse...

Pedimos desculpa mas é apenas para divulgar. Um casal, a crise, poupanças e histórias de quem vive a crise como muitos outros, mas onde a poupança é o melhor remédio. Pode passar a mensagem…? Obrigado!

http://ocarteiravazia.blogspot.com/

c disse...

adorei!

tatianap disse...

Está, simplesmente, tão verdadeiro!
Aprecio imenso a tua escrita. Parabéns!