21 de novembro de 2013

intensamente.

A paixão é fodida. O amor é mais que perfeito e fodido. Estou a ser fiel aos meus princípios ainda que perca o controlo. Sentirmos o que nunca ninguém nos deu a sentir é como um fim do Mundo. E, no fim do Mundo tens tendência a viciar-te tanto numa substância ilícita que acabas por tomar atalhos, enfiar-te em becos e bateres com os cornos na parede até sangrar e parecendo que não esse é único objectivo por parte das pessoas que gostam até gostar em demasia. Simplesmente, quando se gosta, gosta-se. No entanto, gostar em demasia é o que nos mata. Não sermos capazes de continuar a sermos fieis aos nossos principios mesmo que ainda existam reservatórios de palavra por dizer, esforço por manter, batalhas para consquistar e uma guerra para vencer contra o tempo para se continuar a gostar sem matar e para se continuar a gostar sem ser um vício comum de todos os humanos.

Estou intensamente fodida contigo e comigo mesma. Entre à espada e parede por vezes só me apetece apontar-te a espada. Acho que já o fiz até vezes suficientes para conseguir dizer e transcrever a mim mesma que tu és louco por mim. Vejo isso nos teus olhos. E, essa loucura é pura. No entanto, não me chega. Algures em dias, tu esqueces-te que persisti tanto para chegarmos a calçada. E, aí, é onde me apetece esfaquear-te de mim mesma e deixar-te nessa mesma calçada. Virar-te as costas como fiz naquela noite de sentimentos enraivecidos. Tu despertas o meu lado animal. Apetece-me pagar-te com o mesmo amor mas depois... Ah, espera... Recordo-me que sou melhor do que tu. Ainda que juntos sejamos o melhor para os dois. Não estou a fazer sentido porque preciso de um kaya para adormecer e só tabaco e nicotina para me matar. Estou bem mas estou intensamente fodida contigo e comigo mesma. Voltas a repetir a merda da proeza de me roubares os anéis e deixares ficar os dedos... Juro que te mato. E, ainda me rio feita sádica. Morrer de amores, não morro. 

4 comentários:

Joane disse...

Respondendo-te nos mesmos vocábulos: és fodida! Mas morres de amores! Junta-te ao clube!

Beijocas*

Eros disse...

Esventrar... vestir a pele... e dançar loucamente em torno da fogueira onde arde...

Sublime!

Cátia Mourisca disse...

O amor tem disso! :)

Raquel Neves disse...

Adoro, então esta última parte...