3 de maio de 2014

as pessoas querem-nos bem mas nunca melhor do que elas

Ás vezes a capacidade de mudar as merdas está a frente do nosso nariz e nós a querermos sermos cegos evita-mo-la. E, depois de a evitarmos, lamentamos não ter essa capacidade de mudar as merdas quando não existe merda nenhuma a fazer. A vontade sentou-se para sempre num canto refundido e a vida vai ser sempre um contar de tempo e de moedas. 

Desde sempre me pergunto porque é que estes humanos não acreditam quando lhes digo que a nossa família pode ser o nosso maior veneno, uma fonte de ódio mútuo, uma conjugação de situações esquizofrénicas. Ás vezes, não dá para respirar o mesmo ar dos seres humanos que nos deram a conhecer o Mundo talvez por sermos tão diferentes deles que nada encaixa, nem mesmo o silêncio que é fácil de se originar e expandir. 

As pessoas querem-nos bem mas nunca melhor que elas. E, as que nos querem bem vão-nos foder muitas vezes os cornos com injustiças pegadas e palavras bastas de negativismo. Os teus pais podem não gostar de ti porque simplesmente podem nunca ter tido o desejo de ter um filho. E, mesmo assim viste parar ao canto esquizofrénico. Vais ver muita merda evitável mas se fores inteligente vais aprender com ela.

E, se não fores vais adiantar os planos. À espera que mudem. Que sejam prestáveis e educadores. Isso não vai acontecer. Tu não és bem-vindo nesse Mundo, construí um para ti. E, tu constróis e metes tudo aquilo que queres arcando com as consequências. 




1 comentário:

J. disse...

uma cena que eu adoro em ti é a tua capacidade de dizeres as coisas exatamente como elas são, sem florzinhas. quando escreves, és 100% aquilo que existe, e se existe azedo, és 100% azeda. não há palavras e sim, eu Humana acredito-te e entendo-te porque não acho difícil de entender uma cena tão simples como essa.