9 de novembro de 2013

estado do espirito :)


Vazia mas de pé. Não insultes a minha inteligência. Pará com isso. Inventa histórias e agora olha o desperdício. Não nego. As cartas ficaram na mesa. Gostas de mim à tua maneira e se a tua maneira não me chega no que é que ficamos? Não ficamos, ya, vamos ficando. Senta-te e fala. Não tem protecção a prova de bala mas quero ouvir-te, sentir-te e expressar-te. Se não te expressas e não me falas ao ouvido como podemos nós ser a nossa única arte? O teu silêncio deixou de me cansar. Não me afectas com o teu desespero. Simplesmente, não. E, simplesmente, ao dizer-te isto só me pedes desculpa? Tou-me a cagar para tuas desculpas. Ama-me ou deixa. Não é dificil. As pessoas são livres. Para além de ti, do nosso fairplay, das nossas tentações, cheiros e sabores tenho vida lá fora. E, tu com esses desvios otários fazes-me ficar parada. Se não queres viver comigo, deixa-me viver, foda-se. Deixa-me. Queres deixar, não suspires, nem penses, deixa. Não te atendo mais nenhuma chamada. Aquela conversa foi a última que tivemos. Ya, as minhas palavras esgotaram-se. Para, escuta e olha. Amor com amor se paga e se não me pagas, que queres que te faça? 

2 comentários:

Ludmilla Ferreira disse...

Olá
Adorei o teu blog!
Já estou a seguir.
Beijinhos Ludmilla
http://all-of-my-lifee.blogspot.pt/

► JOTA ENE ◄ disse...

Casada com a escrita... e bem casada ;)